segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Em Busca da Verdade

Há tempos um homem veio a este mundo para mais uma tentativa de colocar a humanidade na direção certa. Este homem que nascera como qualquer outro, livre de inveja, ciúmes, ódio, luxo ou riquezas. Passou sua infância e juventude estudando e se dedicando aos grandes ensinamentos e assim aprendeu e praticou. Praticou muito e também ensinou aos que o seguiram a também praticar. Suas mensagens atravessaram o mundo e até hoje onde muitos pronunciam seu nome em momentos de alegria ou desespero, pedem sem vê-lo, aclamam sem obedecer, até erguem grandes templos a Ele, mas estes hoje saberiam reconhê-lo?
A questão acima é de fato interessante e você já a se perguntou? Você notaria se um avatar esbarrasse contigo? Trabalhasse contigo ou mesmo econtrasse com você na rua? O que você faria? Ouço muitos falando que Jesus irá voltar, mas será que estes de fato o reconheceriam? Mas não os condeno...
Num mundo cada vez mais insensibilizado, onde é normal assitir na TV mortes, massacres e genocídios, num mundo que é necessário pular mendigos nas ruas para não tropeçarmos ou mesmo reclamar da vida quando outros em situação muito pior nem reclamar podem ou conseguem.
Este mundo saberia reconhecer o próprio Jesus? Como acha que ele apareceria? Rico, cheio de adornos? Creio que não... Pois imagine bem, se um homem bate à sua porta, sujo e maltratado pedindo algo já dá pra imaginar a reação normal das pessoas não é? Ou se o mesmo tipo de homem fosse por um governante ouvido falar que realiza grandes feitos tal homem provavelmente teria uma bigorna para carregar de tantas coisas maléficas que seriam ditas a seu respeito.
Seria muito bom um mundo que soubesse reconhecer valores, mesmo dentro daqueles que parecem não tê-los. Ou, ao menos, que aprendessem a não julgar as pessoas por sua classe, suas vestimentas, ou as riquezas que carregam.
Os mesmos que acreditam, cultuam e veneram Jesus Cristo seriam capazes de praticar o que ele sempre pediu? Estamos tomados por um mundo cheio de fanatismo que cultiva a ignorância e, apesar de conhecer a verdade, as pessoas ainda pensam em si mesmas como se esta vida fosse eterna.
Levar vantagem, fazendo mal ou não a outros parece não importar para a maioria dos seres humanos. Quão difícil é ser bom, não é? É fazer o que é certo ou o que se julga certo que deveria ser a dificuldade, mas muitos, mesmo tendo plena noção de certo ou errado, ainda assim sabem como errar. Pois o fazem muito.
Será mesmo mais fácil ignorar os outros, ou até maltratar, a que realizar algo bom para eles? Parace ser uma obscuridade do ser humano... São questões que para muitos não há respostas visívies, ao menos, no momento não.

Um comentário:

Alice Helena disse...

Só Jesus é o caminho, a verdade e a vida! Deus o abençõe!