terça-feira, 2 de janeiro de 2007

O Mal: um estado temporário

O encontro para a segunda parte da explicação da pergunta sobre o que de fato é o mal era iminente. Na noite seguinte a sua primeira instrução Danilo, desperta em projeção já dentro da caverna, ALDBN o esperava sentado em sua cadeira de madeira.
O mestre levanta com seu cajado e vai até Danilo, que senta-se no chão, aguardando ansioso o início da segunda parte da instrução. Seu mestre no encontro anterior prometeu continuação e uma estória para entendimento aprofundado.
ALDBN começa: "Olá meu filho, como está?" Danilo responde que tudo estava bem querendo muito que o mestre já começasse a falar. ALDBN, vendo a ansiedade de Danilo, começa carinhosamente lhe dizendo: "a paciência será algo a ser trabalhado em você meu irmão. Mas, em sua última estadia aqui eu lhe disse que contaria uma estória não foi?"
"Pois bem, a estória que vou lhe contar é sobre um jovem comum, mas muito bom. Sem dúvida era uma alma brilhante, o que chamamos de benção na Terra. Seu nome era Marcelino e ainda muito jovem começou a viver estranhos fenômenos. A sociedade naquele tempo temia muito estranhos acontecimentos e repudiava tais acontecimentos ou práticas. Até mesmos seus parentes lhe diziam que ele havia sido amaldiçoado. Na verdade, Marcelino, por ser apenas um menino ainda e muito bom, era atacado por entidades sem luz."
"A reação de sua comunidade era isolá-lo, alguns até mesmo sugeriram queimá-lo para derrotar o "demônio", que parecia as vezes possuí-lo. Seu pai não sabia o que fazer, mas sua mãe sabia exatamente o que não deveria fazer. E seu amor materno e bondade lhe fizeram buscar ajuda onde quer que ela estivesse. E ela encontrou..."
"A mãe de Marcelino achou um velho dito como sábio numa aldeia distante. O velho era de fato muito sábio e sensato, mas também uma pessoa tão boa quanto o jovem Marcelino. Ele imediatamente condenou as sugestões da comunidade em que o menino vivia e disse à sua mãe que o menino tinha o poder de se ajudar, bastava ele querer e acreditar. E por ser uma grande pessoa e muito jovem era assediado pelas forças contrárias e ainda não sabia como lidar com aquilo."
"O velho sábio dá algumas instruções à mãe do rapaz sobre rituais, exercícios e explicações para seu filho. Certa noite ele se senta com Marcelino e lhe fala que tais assombrações e acontecimentos são tentativas de outras entidades de aprenderem com ele, de também terem a luz que ele tem. As entidades eram como mariposas atraídas pela luz dele e se grudavam à ele sem bem saber o que fazer, bastava a elas alguma orientação que Marcelino ainda não podia dar. O velho dá duas opções para o jovem menino: 1-expulsar as entidades de Marcelino e 2- Ajudar Marcelino a compreender tudo aquilo e ensinar-lhe o que fazer. Marcelino, muito bom e inocente, pergunta ao velho sábio o que aconteceria e para onde iriam as entidades caso expulsas. O velho lhe responde que provavelmente para outra pessoa ou vagariam pela Terra até saberem se encontrar."
"Então o doce menino pergunta como poderia se ajudar, mas sem realizar mal às entidades que lhe assombravam, e o velho sábio lhe diz: "Continue sendo bom como você é, ajude quem puder ajudar, oriente quem você puder orientar. Seja tão bom e faça coisas tão boas que as entidades que estarão com você, sejam quais elas forem, aprenderão. Elas verão a origem de sua luz, como ela pode ser adquirida e como é verdadeiramente a ordem divina."
"O velho sábio se compromete com o menino de visitá-lo de tempos em tempos e dá diversas orientações a ele e à sua mãe. Em certo tempo, o pequeno Marcelino já não sofria mais mal algum. A principal entidade que lhe atormentava virara seu melhor amigo, protetor e discípulo. Uma legião inteira de entidades e outros seres acompanharam Marcelino em sua jornada por este planeta, aprendendo, ajudando e até mesmo, em alguns momentos, o guiando. A pequena escolha de Marcelino de ajudar as entidades que lhe faziam mal, ajudou a si próprio, diversas entidades e vários seres humanos deste plano."
"Marcelino foi um dos grandes sábios a caminhar por esta Terra, sua vida e sua passagem salvaram diversas almas despreparadas, perdidas e arrependidas, algumas até mesmo ditas como malignas."
ALDBN então volta-se para Danilo: "espero que você aprenda e ensine que se tratar mal o Mal, nada de bom podes esperar. Por outro lado se tratar bem, ainda poderá esperar alguma coisa, mesmo que seja algum dia."
"Não tenha dúvida de que daquilo que classificam como Mal, algo de bom pode ser extraído, sempre. Não duvide da bondade dos seres, mesmo que esta pareça estar tão distante e improvável. Vocês por natureza já são vitoriosos pela sua individualização e muitas vezes somente precisam de uma linha guia para orientá-los para o caminho correto."
"Sei que ainda tem muitas perguntas, mas reflita sobre tudo isso. Eu lhe dei somente uma semente, não uma árvore. Se eu lhe desse uma árvore você jamais aprenderia a plantar."
Danilo na mesma hora lembra de passagens da bíblia onde o Mestre Jesus disse algo como: "a semente em solo infértil morre, mas em solo fértil germina e dá ótimos frutos." Naquele momento Danilo aprende e repara que jamais terá respostas precisas de seu mestre, ele lhe dará somente uma lanterna para lhe guiar na caminhada por um longo e escuro caminho.
Danilo retorna de sua projeção com muito a pensar e passa horas de vários dias refletindo. Ele leva um bom tempo para entender exatamente o que seu mestre quis lhe dizer. Mas compreende que o que chamamos de mal nada mais é que um estado temporário, que não deve ser combatido e sim também amado.

2 comentários:

Carlos disse...

Daniel, seu texto é muito bom e muito interessante, principalmente para pessoas que desconhecem esse tema, mas que sentem interesse pelo mesmo, como é o meu caso. Seu texto, assim como a história do mestre para Danilo é uma semente que se plantada em bom solo e regada poderá render uma planta com ótimos frutos.
Como gostam muito de dizer por aí, "tudo é relativo" e faz todo o sentido do mundo, pois sempre pode existir mais de um ponto de vista sobre determinado assunto. Para cada um resta escolher qual desses pontos de vista será utilizado. Grande abraço e continue assim distribuindo as sementes do conhecimento.

Daniel Bertram disse...

Valeu Grande Carlos! É com a motivação e alegria de pessoas como você que sentimos a necessidade de mostrar o que está temporariamente além de nosso alcance no que tange este tipo de assunto.
Abraços meu caro.