quinta-feira, 31 de maio de 2007

Vícios

            Certa vez, andando com Danilo, observei um senhor fumando. Danilo, tendo notado minha observância me explicou mais uma das armadilhas deste plano.

            No ciclo encarnatório é fácil notar aqueles que simplesmente terão de voltar, aqueles que terão de se curar aqui, ou mesmo, os que terão de esperar muito por um nova chance de retornar.

            O destino, assim como a realidade para cada um será o resultado de seu Desejo x As conseqüências de seus atos. Tal produto definirá tempo, forma e local. Para alguns o aceite de estarem perdidos será somente o início de uma longa jornada.

            Aqueles dados como viciados, em todos os sentidos, como: fumantes, dependentes químicos, aqueles que não conseguem parar com alguma qualquer atividade ou mesmo pensamento, podem ser cobrados já mesmo neste plano físico ou terão enormes dificuldades em acordar e deixar este plano vibracional.

            Alguns doentes são obrigados pelo corpo a pararem com seu vicio enquanto ainda aqui mesmo. Muitas vezes isso os prepara, e salva, para sua libertação. Já, infelizmente outros, perdem sua vida ainda dependentes. Estes podem se tornar fantasmas sugadores de energias de viciados vivos, influenciando-os negativamente no aumento de tal dependência.

            Sem complicar o assunto, é tão fácil quanto triste. Em resumo, funciona desta forma: se você aqui vive sem vícios, sem apegos, sua passagem (desmagnetização) deste plano material para o espiritual será breve. É possível que permaneça num plano de interseção por certo tempo para consumir as energias restantes do plano (físico) deixado. Então, se suas energias astrais estiverem de acordo, sua passagem será completada.

            Porém, para aqueles que possuem alguma dependência não tratada, seja vício, carma ou problema, isso deve ser resolvido até sua partida, de outra forma terá problemas na passagem.

            Pessoas com dependências tendem, ao perderem seu corpo físico, a continuar a procurar àquilo que faziam costumeiramente enquanto vivas. Ou seja, costumam continuar sua procura para continuar a alimentar o vício. Isso durante a passagem pode ser muito ruim.

            Estas pessoas podem permanecer muito tempo na interseção, acreditando que ainda estão vivas. Confusas ou sugando energias dos vivos com os mesmos vícios elas alimentam seus vícios sem noção de sua nova realidade. A queda delas, infelizmente e muitas vezes, é inevitável. Pois, mesmo desencarnadas (ou ainda durante a passagem) elas continuam sujeitas às leis das benfeitorias e malfeitorias. E influenciar e/ou motivar outros a fazerem algo ruim, pensando em si mesmas, geram uma perda de energia vital valiosa, agregando assim, partículas negativas em seus corpos.

            As energias de determinados ambientes costumam ser pesadas devido ao apego de muitas entidades que estão na interseção e consomem a energia destes locais. As vezes, um ambiente com dezenas de pessoas que fumam, bebem e coisas afins podem possuir milhares de entidades que se alimentam da energia do consumo destas substâncias por estas pessoas.

            As entidades, mesmo já desencarnadas, que permanecem na interseção precisam desvencilhar-se dos vícios e acordarem para o estado atual para poderem continuar sua jornada. De outra forma, até isto ocorrer, estarão presas nesta situação por período indeterminado.

            Mas nem todos os viciados estão condenados à esta situação. Muitas vezes ainda neste plano (físico - encarnadas) elas são obrigadas a deixarem seus vícios por conta de algum problema físico. Isso as salva. Ou, ao menos, as coloca numa posição mais "desperta" que representará uma importante ajuda em sua passagem.

As vezes vejo pessoas com problemas em órgãos, com câncer, ou alguma limitação física devido ao abuso de alguma substância. Dificilmente encontramos palavras para consolar pessoas neste estado, mas para os espiritualistas é uma dádiva para estas pessoas. Pois, mesmo descrentes espiritualmente, tomam consciência de que seu vício é algo errado, que o apego condenará seu corpo e acelerará sua morte. Sendo assim, com estado de consciência motivado, conseguem deixar o vício a tempo para realizarem uma boa passagem.

É importante entender de apegos até vícios, eles podem lhe condenar. Os que pensam que a situação atual pode estar ruim podem acreditar, se está ruim agora é porque poderia piorar depois. Um grande sábio dizia que grandes dores vêm para curar grandes decepções e que grandes esforços podem trazer, em algum tempo, grandes presentes.

Lutar contra desejos mudanos, tendências e vícios pode, até o momento para alguns, não representar nada. Mas à medida que os anos em seu corpo tomam seu espaço a preocupação é despertada. Ao menos, o conhecimento do problema é o início de uma chance.

Um comentário: